top of page
  • reluzterapiasenerg

Perfeccionismo: o que é e quando se torna um problema?

Atualizado: 7 de dez. de 2023

Você tem o hábito de fazer e refazer uma mesma tarefa até acreditar que o resultado alcançado está bom o suficiente, mas — boa parte das vezes — ainda tem a sensação de que poderia ser melhor? O perfeccionismo é considerado, tanto na psiquiatria quanto na psicologia, um traço de personalidade que impacta o modo como uma pessoa lida com as demandas diárias de maneira geral.

Inclusive, é bastante comum que essa característica seja vista sob uma ótica positiva ou, pelo menos, como um defeito “desejável”, por isso é popularmente citada pelos candidatos em processos seletivos. No entanto, não raramente, o perfeccionismo desvia o foco das pessoas, que deixam de procurar alcançar o sucesso e passam a evitar o fracasso a todo custo, tornando-se realmente um problema.

Neste artigo, vamos explicar mais detalhadamente o que é ser perfeccionista, quais são os principais tipos de perfeccionismo e até mesmo como evitá-lo nos casos em que ele começa a afetar negativamente o dia a dia.

O que é ser perfeccionista?

Antes de entender esse aspecto, é preciso compreender o conceito de perfeccionismo. Em termos simples, como introduzido, trata-se de um traço de personalidade — e não de uma doença. Ele implica uma incessante busca pela perfeição, o que engloba desde a performance profissional(especialmente na execução das habilidades profissionais) até as práticas comuns da vida cotidiana.

Ou seja, uma pessoa perfeccionista acaba por estabelecer padrões extremamente elevados a serem mantidos, acreditando que ser a melhor em tudo é o único caminho para alcançar a aceitação pessoal. Ainda nessa linha de pensamento, ela entende que, assim, estará isenta de desaprovação, rejeição ou mesmo críticas.

De modo geral, um indivíduo perfeccionista é seletivamente atento aos deslizes. Logo, ele tende a focar somente os erros em vez de olhar os acertos. Por sua vez, isso o leva a frequentemente “corrigir” detalhes até que tudo saia como o planejado. A grande questão é que, quando isso não ocorre, diversos sentimentos negativos, que afetam a saúde mental, podem surgir.

Quais são as características de uma pessoa perfeccionista?

As pessoas perfeccionistas normalmente são extremamente organizadas e atentas às minúcias, de modo que procuram fazer tudo com a mínima possibilidade de falha. Além disso, outras características que se destacam são:

  • alta resistência a críticas;

  • extremo nível de exigência, tanto consigo mesmo quanto com os seus pares;

  • grande dificuldade para trabalhar em equipe;

  • inflexibilidade perante erros de terceiros;

  • dificuldade em aceitar e aprender com os próprios deslizes;

  • tendência à autopunição diante das próprias falhas;

  • senso excessivo de responsabilidade;

  • percepção do erro como um fracasso;

  • insatisfação constante com os resultados alcançados, por melhores que sejam;

  • dificuldade para confiar em outras pessoas — geralmente por não acreditar na capacidade delas;

  • sensação frequente de culpa etc.

Outra peculiaridade comum àqueles que apresentam esse traço de personalidade é o medo extremo de falhar. Por essa razão, pessoas perfeccionistas têm uma constante preocupação com tudo que fazem, independentemente no nível de complexidade, e impõem sobre si mesmas padrões de autocobrança bastante elevados.

Assim, qualquer falha, por menor que seja, pode desencadear uma frustração desproporcional e o sentimento de incapacidade.

Quais são os tipos de perfeccionismo?

É possível classificar esse traço de personalidade conforme os fatores que provocaram o seu desenvolvimento. Nesse sentido, podemos falar que existem três tipos comuns de perfeccionismo, como veremos a seguir.

Perfeccionismo direcionado

É denominado assim quando leva o indivíduo a gerar expectativas excessivas — não apenas sobre si mesmo, mas também em relação aos outros. Nesses casos, há uma grande dificuldade de adaptação a mudanças e falta de habilidade para o trabalho em equipe.

Perfeccionismo social

Via de regra, o que está por trás desse traço é um grande receio que o perfeccionista tem em relação ao modo como será reconhecido e interpretado pelos demais. Então, ele sente muito medo de falhar e, consequentemente, sofrer rejeição.

Além disso, em alguns casos, esses indivíduos veem a interação com os pares como um verdadeiro desafio, especialmente no que diz respeito ao compartilhamento das suas inseguranças. Afinal, o medo do julgamento está sempre presente.

Perfeccionismo pessoal

As pessoas que têm esse traço específico de personalidade normalmente se cobram exageradamente e demonstram uma preocupação desmedida para que tudo esteja sempre “perfeito”. O fato é que o perfeccionismo pessoal está estreitamente ligado à forma como o indivíduo se enxerga; é uma autocrítica excedida.

Quando o perfeccionismo passa a ser um problema?

Como vimos até aqui, alguns traços das pessoas perfeccionistas podem influenciar positivamente o seu rendimento, tanto no âmbito pessoal quanto no âmbito profissional — como a organização e a atenção aos detalhes. Porem, o perfeccionismo tem potencial para se tornar um grande problema, especialmente quando torna a realização de qualquer atividade exaustiva e desgastante em razão da autocobrança excessiva.

Além disso, a sensação de insatisfação diante de quaisquer resultados alcançados desencadeia frustração e angústia e, a longo prazo, pode implicar o desenvolvimento de quadros mais graves, como ansiedade e depressão.

Afinal, os indivíduos perfeccionistas são muito autocríticos. Isso pode ser altamente prejudicial, pois, com o tempo, eles já não conseguem mais enxergar os pontos positivos, mas somente os negativos. Não raramente, isso acaba por se refletir em transtornos de humor.

Como evitar o perfeccionismo?

Quando o perfeccionismo passa a afetar negativamente algum âmbito da vida, o mais indicado é procurar um acompanhamento profissional. Geralmente, o tratamento psicológico envolve abordagens que auxiliam as pessoas a buscar maneiras diferentes de lidar com essa “necessidade” de atingir a perfeição — que, em muitos casos, é inatingível.

Além disso, existem outras boas práticas que podem ser adotadas para promover uma mudança de mentalidade, a fim de melhorar a qualidade de vida, como:

  • ter em mente que a perfeição não existe de fato;

  • refletir sobre os danos que o perfeccionismo está causando nos mais diversos âmbitos da vida;

  • ser mais receptivo às críticas, buscando vê-las como oportunidades para aprender e melhorar;

  • procurar fazer bem-feito, mas não perfeito;

  • evitar ao máximo comparações com outras pessoas.

Como vimos, o perfeccionismo, mesmo que muitas vezes seja visto como uma “qualidade”, pode afetar profundamente a vida da pessoa e de outras ao seu redor. Por isso, ao perceber quaisquer sinais de prejuízos causados por esse traço de personalidade, busque modificar a sua mentalidade e transformar a sua perspectiva, procurando ter um olhar mais positivo sobre si e sobre os demais. Se necessário, não hesite em buscar auxílio profissional.




















5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page